Políticas nacionais de apoio à ciência aberta

análise contrastiva das iniciativas desenvolvidas nos Estados Unidos, Portugal e Brasil

  • Izabel Antonina de Araujo Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Aparecida Moura Universidade Federal de Minas Gerais
Palabras clave: Políticas de acesso aberto. Ciência aberta. Governança em rede. Acesso à informação científica.

Resumen

 

Este  trabalho apresenta elementos estruturantes de políticas de ciência aberta e indica como as iniciativas de abertura da ciência têm sido constituídas nos Estados Unidos, Portugal e Brasil. Trata-se de uma pesquisa qualitativa interpretativa, de natureza aplicada que identifica e analisa as condicionantes de uma política de ciência aberta e os elementos que a sustentam. Utiliza-se como método de investigação o estudo de caso cross case para identificar e analisar as variáveis que permeiam o campo político dos países em estudo. Identifica que as  políticas encontram-se em grau de evolução diferenciado entre os países. Nos Estados Unidos, observa-se forte envolvimento de atores políticos e sociais nas ações de ciência aberta com várias iniciativas que envolvem o acesso às publicações e aos dados de pesquisa, educação aberta e ciência cidadã.  Portugal apresenta uma estrutura consolidada para acesso aberto às publicações, conta com o apoio de atores sociais e políticos, alinhamento com as políticas da União Europeia, além de trabalhar para aprovação de uma política nacional de ciência aberta no país. O Brasil apresenta avanços importantes nas questões de acesso às publicações, mas ainda não dispõe de um marco legal, uma política governamental orientadora para as agências de fomento à pesquisa, universidades e instituições de pesquisa. Conclui-se que as políticas de ciência aberta com foco no acesso justo, democrático e igualitário pautam-se pelo contexto sociocultural do país e sua efetividade depende da governança de recursos informacionais em rede com ações coordenadas entre os diferentes atores sociais, econômicos e políticos.

Biografía del autor/a

Izabel Antonina de Araujo, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Ciência da Informação pela Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela Escola de Arquitetura da UFMG. Graduada em Biblioteconomia pela UFMG. Atualmente é coordenadora do Repositório Institucional da UFMG. Integra o movimento de Acesso aberto e ciência aberta na universidade como membro do Comitê Gestor e da comissão técnica do Repositório Institucional. Atuou na criação e apoio técnico em periódicos científicos da UFMG. Participa do projeto de extensão Acesso, divulgação e preservação da produção intelectual da universidade. Tem experiencias em serviços e produtos de informação em instituições e empresas. Atua no desenvolvimento de projetos e atividades relacionadas a comunicação científica, implementação de política de acesso aberto e Ciência Aberta.

Publicado
2022-09-05
Sección
Eje temático: Comunicación académica, científica y cultural en abierto